Mário Gomes, de vítima de boato da cenoura a espalhador de fake sobre Freixo

Ex-ator global já teve nome na boca de Matilde quando saíram contando que foi parar no hospital com uma cenoura entalada em suas profundezas. Agora é processado por Marcelo Freixo por espalhar fake sobre ele e a falta de oxigênio em Manaus

Em 1977, Mário Gomes tinha 25 anos. Era galã, bonitão, moreno de olhos claros e par romântico de atrizes lindas nas novelas globais. Naquele momento, ele, Beth Faria e Francisco Cuoco davam vida a um triângulo amoroso em “Duas Vidas”, obra de Janete Clair. Foi quando o jornal “Luta Democrática” soltou a notícia de que ele havia dado entrada em um hospital com uma cenoura “lá”. O Luta Democrática era do deputado federal Tenório Cavalcanti, que foi cassado em 1964 – quando do início da ditadura militar – e que, certa vez, num ataque de fúria no plenário da Câmara dos Deputados, sacou uma arma e apontou para Antônio Carlos Magalhães, ameaçando ceifar a vida do baiano ali mesmo. ACM enfrentou, porém mijou nas calças e Tenório desistiu de atirar. O jornal chegou a ser o terceiro maior do Rio, e tinha aquele estilão “se espremer, escorre sangue”, sensacionalistaço. Foi o veículo que atirou nas asas de um galã que alçava voo: embora Gomes tenha continuado a fazer papeis e mais papeis na Globo, nunca atingiu o status de grande galã, e provavelmente foi a cenoura que atrapalhou tudo…

Fato é que, há pouco mais de três anos, o ator deu uma reviravolta no caso, tentando usá-lo ao seu favor. Se, na época do boato, ele esbravejava judicialmente, mais recentemente estava disposto a ressuscitar o caso e, assim, quem sabe, voltar a ser visto. Afinal, quem não é visto, não é lembrado. Não vou linkar aqui as várias aparições que ele fez na televisão em programas de fofocas e frivolidades, porque não quero ser canal direto pra dar clique pra essa galera, mas se você der uma googladinha, rola de entender do que é que eu tô falando.

Em vez disso, vai lá no meu canal no Youtube, assina, vê uns vídeos, porque tá osso esse negódi tentar fazer ele monetizar.

De vítima a agressor

Daí que seria lindo conseguir defender Mário Gomes de um jornalismo irresponsável, etc, não tivesse ele próprio recorrido ao mesmo expediente: saiu espalhando um áudio dizendo que o deputado federal Marcelo Freixo (PSol/RJ) foi o responsável pela falta de oxigênio em Manaus (AM). Aí não, né mano?

Pra piorar, o que foi que ele fez: gravou um áudio como se estivesse falando com o veterano Carlos Vereza (de 81 anos), no qual dizia que sabia que ele estava apoiando figuras como Luciano Huck, sendo que a falta de oxigênio nos hospitais de Manaus eram culpa do apresentador e de outros inimigos do presidente, como Marcelo Freixo. Resultado: Vereza resolveu processá-lo também.

A audiência do processo de Freixo (que obviamente recorreu à Justiça pedindo indenização) é hoje. Não sei quando será a de Vereza. Sei que a trolha de dois processos por fakes será maior do que uma simples cenoura…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s