Adão, o setor cultural não foi feito de sua costela…

Tal como Tieta do Agreste, os fazedores de cultura não foram feitos dos ossos do secretário de Cultura, que carece de representatividade e de novos modus operandi. Conversinhas são dispensáveis

Parece até que esse é um texto pistola anti-Adão e pró-Minha-Pequena-Eva. Mas não é e não tem graça nenhuma duas coisas interessantes (pra não dizer bizarras, ops, disse) que estão rolando aqui no DF.

Coisa 1 – o corte do FAC

Tem a decisão de cortar o FAC. Adão anunciou o cancelamento do pagamento de dois editais já devidamente realizados em 2018, mantendo apenas o edital que financia o Audiovisual. Só que não pode, criatura! E até agora não tô entendendo o que que tá acontecendo com a galera da arte que ainda não entrou com liminar no TJDF pela sua inconstitucionalidade (amores, eu amo vocês, mas vamos parar de ciranda na porta da casa do secretário e agir nos instrumentos legais?). Vou passar aqui o bizú que explica o porquê dessa medida de corte ser ilegal:

LEI ORGÂNICA DO DISTRITO FEDERAL
(que você pode carinhosamente chamar de “Constituição do DF”, talquei?)

EMENDA À LEI ORGÂNICA Nº 52, DE 2008.

Publicação DODF nº 083, de 05/05/08 Pág. 01.

Acrescenta os §§ 4º e 5º ao art. 246 da Lei Orgânica do Distrito Federal.

A MESA DIRETORA DA CÂMARA LEGISLATIVA DO DISTRITO FEDERAL, nos termos do art. 70, § 2º, da Lei Orgânica, promulga a seguinte emenda ao texto da referida Lei:

Art. 1º Ficam acrescidos os §§ 4º e 5º ao art. 246 da Lei Orgânica do Distrito Federal:

Art. 246. …………………………………………………………………

§ 4º O Poder Executivo estabelecerá formas de incentivo à participação da sociedade civil complementarmente aos investimentos destinados à cultura.

§ 5º O Poder Público manterá o Fundo de Apoio à Cultura, com dotação mínima de três décimos por cento da receita corrente líquida.

Art. 2º Esta Emenda à Lei Orgânica entra em vigor na data de sua publicação.

Art. 3º Revogam-se as disposições em contrário.

Saca, Adão? Não sendo o FAC parte de você, nem sua costela, você NÃO PODE simplesmente fazer o que bem entende com o dinheiro, FIM. Isso não tá em discussão. Quando o Arruda tacou o FAC na Constituição do DF, ele simplesmente tornou esses recursos não-contingenciáveis.

OU SEJA:

  • Você não pode pegar a grana do FAC pra reformar o Teatro Nacional
  • Você TEM que reformar o Teatro Nacional. E eu, se fosse você, faria o que fosse pra realizar isso e ter meu nome lá na plaquinha (cê é burro, filho?).
  • Só que você NÃO PODE pegar dinheiro contingenciado pra reformar o Teatro. Afinal, é dinheiro para manter o Fundo de Apoio à Cultura, que não prevê grana pra reforma de obras públicas.

Coisa 2 – Mimimi novo Pólo de Cinema e Vídeo, lalalá

Pra tentar criar uma cortina de fumaça e crendo que um anúncio como este acalmaria o setor, que obviamente tá bem irritado, Adão inverte os manuscritos milenares e, ele próprio, oferece uma maçã. Diz que a graande novidade é que “olha gentchy que legal, temos um terreno imeeenso pra fazer um novo Pólo de Cinema ali do lado do CCBB”, lalalá…

Çei.

Antes que leiam esse texto e mudem tudo, olha o que é que tá na descrição do Pólo de Cinema e Vídeo Grande Otelo:

reparou lá no topo da página? estamos na descrição, na parte Institucional, não é uma notícia. logo, além de ser zero novidade… gozar com o pau dos outros é legal, secretário?

Em setembro de 2017.

Setembro.

2017.

O link: http://www.cultura.df.gov.br/parque-audiovisual-de-brasilia/

Se é pra requentar notícia pra criar cortina de fumaça, seja mais esperto, honey Adão. Do contrário, vai sempre dar bosta. Tamo aqui pra tacar no ventilador…

A Bandnews deu ontem essa notícia dizendo que a proposta é devolver o terreno pra Terracap, que também é a dona do espaço lá do lado do CCBB. Que, inclusive, uma das justificativas é que o local é de difícil acesso aos produtores e blablablá. Eu, que já fiz produção de filme independente, sei beem a dificuldade. Já filmamos até em Planaltina de Goiás, muito mais que o triplo de distância de Sobradinho. Pare de xou, que você não é a Xuxa, Adão…

Quanto ao terreno, quem tem um tico de memória lembra bem disso aqui:

Vamos nos lembrar disso aqui?

Aaah não, Adão. Se tem uma coisa pelo qual o governo Ibaneis tá mais que ficando conhecido é pela fama de: gogó. Fale menos, faça mais e pare de meter a mão no dinheiro de 15 mil pessoas – e em prol de toda a população do DF. Talquei?

Anúncios