Drops Culturais – agora Droperia Cultural

Enchi o saco. Torrei a paciência, mandei nego tomar no olho do cu (com um C bem grande pra você) e um belo dia (hoje) resolvi mudar. É, acabei de ler a biografia do Renato Russo (O Filho da Revolução), do Carlos Marcelo ontem, e de tanto o grande ídolo do rock nacional falar do tédio de Brasília, acabei por absorver alucinadamente tal sentimento e resolvi foder o tédio que me fode há meses, desde que resolvi capengar o Drops Culturais.

Perdi, portanto, a oportunidade de realizar deliciosas coberturas pelo blog. E isso me encheu. Tô de volta, agora de verdade. E o Drops Culturais vai virar Droperia Cultural. É que eu deveria ser criativo no novo nome, sem perder a identidade que fui construindo ao longo de 2008 (na verdade, desde 2004). E porquê? Nomezinho comprido pra registrar no .com.br (como eu quero há tanto tempo). Tentei drops.com.br, mas já existe. Daí, fui pro plano B – o nome que adotei no site de cultura que criei para minha monografia – e tentei o Farmacopéia.com.br. Sem sucesso, novamente. O .com também já existia. E registrar qualquer site em .net, .inf ou .pqp não rôla.

Como o nome muda, mas o conceito de cultura como remédio para os males do tédio, mau-humor e o caráleo a quatro, achei droperia.com.br bem razoável, hã? Okay, minha vida deu reviravoltas beem consideráveis de quando fui desistindo do Drops pra cá, agora sou pai, etc e tal. Mas peralá, convenhamos: preguiça também contou um monte. E a preguiça só me fode, sem gel e com areia. Tava um moribundo intelectual, e agora voltando pra casa do trampo e ouvindo Ordem Inversa bateu a saudade de pôr a cultura em pauta e não deu outra: cheguei em casa, registrei o domínio, li e reli o tutorial do WordPress.org e em alguns dias estou colocando todos os conteúdos disso aqui pra lá.

Outro fator motivador: meu vício no Twitter (que agora todo mundo tem, mas nós – eu e este blog – temos há séculos) me levou a seguir a Sarah Oliveira (que gosto muito desde o Disk MTV), e descobrir que ela agora é jornalista cultural e montou o Colherada Cultural (beem bom, aliás). Me bateu uma invejinha saudável (sabe?), então cá estou escrevendo pra dizer que sim, vamos voltar. Vamos? É, Ana Luiza Zenker sumiu e Camila mais ainda (as duas outras viciadas que escreviam pra cá), mas conheci uma par de gente que deve topar escrever pra cá, apegadas apenas ao fato de o trabalho dignificar o homem. Claro que não sou imbecil e que quero arrumar um jeito de tornar o Droperia “rentável”. Enquanto isso, conto com o tesão desse povo de uma raça que não tem medo de fumaça-iá e não se entrega, não.

Até o Droperia. Tá, tantas promessas feitas nos últimos meses, e minha credibilidade já deve estar próxima de zero ao dizer que I will back. But (now) is true.

Anúncios

2 Comments

  1. E aí Morillo!
    Valeu pela menção lá no twitter.. conheceu meu blog?

    Botei fé na proposta do Drops Culturais e to querendo saber do novo domínio. Como é que tá?

    Abração.
    Vá em frente com este blog!

    PS: Gostei do jeito que você escreve. Nesse texto pareceu bem indignado, mas foi legal.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s